Iguatemi registra R$ 3,1 bilhões em vendas no primeiro trimestre de 2019

Enviado em 17, Mai, 2019 ás 18:00:00

A Iguatemi Empresa de Shopping Centers S.A. (IGUATEMI | B3: IGTA3), com participação em 16 shopping centers, dois premium outlets e quatro torres comerciais, apresenta resultado resiliente no primeiro trimestre de 2019. Apesar do início de ano desafiador, que demonstrou tímida melhora em relação a 2018, a companhia foi impactada positivamente pelo efeito calendário da Páscoa e apresentou um aumento de 5,4% nas vendas totais, atingindo R$ 3,1 bilhões no trimestre e um crescimento de Ebitda de 2,9% em comparação ao mesmo período do ano anterior, para R$ 129,4 milhões, com margem de 74,8%.

Ainda em um cenário de retomada lenta, a companhia mantém seus esforços na captura de novas marcas para qualificar ainda mais a ocupação dos empreendimentos e na retirada gradual dos descontos dos lojistas, iniciativas importantes para atingir os resultados consistentes apresentados neste trimestre.

"Apesar das incertezas do ambiente político e econômico, estamos confiantes na entrega do guidance divulgado no início desse ano. A expectativa é crescer a Receita Líquida entre 5% e 10% e seguiremos nossa estratégia de investimento no portfólio, com mix de lojas cada vez mais qualificado e melhorias na experiência do consumidor", conta Cristina Betts, CFO da companhia.

No trimestre encerrado em 31 de março, a Iguatemi registrou crescimento de 4,5% nas vendas mesmas áreas (SAS) e de 3,1% em mesmas lojas (SSS). Os aluguéis em mesmas áreas (SAR) e em mesmas lojas (SSR) apresentaram alta de 4,6% e 6,4%, respectivamente, favorecidos pelo processo de redução dos descontos e inflação do período.

A receita líquida no trimestre alcançou R$ 173 milhões no trimestre, 2,7% acima do registrado no mesmo período de 2018, enquanto o FFO atingiu R$ 86,6 milhões, 1,6% acima do mesmo período de 2018.

"Acreditamos que a Iguatemi está bem posicionada para enfrentar os desafios dos próximos anos, focada em inovar e se preparar para o futuro dos shoppings centers e sua relação com o comportamento do consumidor. Para os próximos meses, um dos grandes projetos que lançaremos é o Iguatemi 365, nosso marketplace que irá quebrar barreiras geográficas e ampliar o acesso à clientes em todo o Brasil, 24 horas por dia", complementa a executiva.

No total, o desempenho dos shoppings a 100% resultou em receita de aluguel de R$ 244 milhões no trimestre, alta de 5,1% em relação ao ano anterior. A receita de estacionamento, por sua vez, chegou a R$ 59,8 milhões, 4,4% maior que no primeiro trimestre de 2018.

Ao fim dos primeiros três meses do ano, a dívida total da Iguatemi era de R$ 2,1 bilhões, retração de 3,3% em relação ao final do mesmo período de 2018. A dívida líquida da companhia recuou 0,08% no mesmo intervalo, para R$ 1,5 bilhão, levando a um múltiplo Dívida Líquida/EBITDA de 2,61x para o final do primeiro trimestre de 2019.

Compartilhar: